Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PORTAL DO AUTOMÓVEL


Sábado, 08.10.11

APRESENTAÇÃO: Renault Fluence 1.5 dCi 90 FAP eco2

Familiar por excelência, torna-se ainda mais acessível e económico com a disponibilidade do motor 1.5 dCi com 90cv. Associado ao nível de equipamento Dynamique, privilegiando os consumos e as baixas emissões de CO2, é comercializado por 24.800€ na Rede de Concessionários Renault.
Com as tendências de design da indústria automóvel das últimas décadas, o distinto sobrepôs-se ao clássico e os automóveis tricorpo voltaram a conquistar novos adeptos. Principalmente pelas características familiares que proporcionam. Além do elevado conforto e habitabilidade, o terceiro volume de um modelo como o Renault Fluence é sinónimo de 497 dm3 de volume da bagageira.


Menos custos, o mesmo equipamento


Em relação ao Fluence Exclusive 1.5 dCi 110 FAP eco2 (VER AQUI ENSAIO), a único comercializado até hoje em Portugal, esta versão do mesmo motor mas com apenas 90 CV apresenta um custo de aquisição 2.600€ inferior, menos emissões de CO2 e consumos ligeiramente inferiores.
Mas mesmo com um preço e custos de utilização reduzidos, isso não significa cortes no equipamento. Assim, esta versão mantém:


- Sistema de navegação Carminat by Tom Tom Live
- Ar condicionado automático “bi-zone”
- Computador de bordo
- Rádio Sat CD 60W com função de leitura MP3 e sistema “mãos-livres” Bluetooth
- Retrovisores exteriores com regulação eléctrica e sensor de temperatura
- Faróis de nevoeiro dianteiros
- Jantes em liga leve de 16 polegadas
- Sensores de chuva e luminosidade
- Volante regulável em altura e profundidade revestido em couro


Entre outros requisitos, em matéria de segurança, destaque para:


- Duplo airbag frontal adaptativo
- Airbags laterais para o tórax integrados nos bancos dianteiros
- Airbags de cortina
- ABS + sistema de assistência à travagem de urgência ESP (controlo electrónico de estabilidade)
- Sistema de trancamento automático das portas em movimento.



Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 20.05.10

Renault Fluence Exclusive 1.5 dCi 105cv (Eco2)

É a velha questão em torno da ideia "baralhar para dar (criar) de novo". Nisso a marca francesa não pára de surpreender. Bem vistas as coisas, não é a única a servir-se da artimanha: construir uma "novidade" a partir do que já há, embora com características que o fazem imiscuir-se entre outros modelos.

Lá vai o tempo em que os segmentos eram, por assim dizer, estanques. Havia os citadinos ou utilitários, os da classe média e por aí fora. Cada um recebia a sua designação, declinando a partir daí em versões de 2, 4, mais raramente 5 portas, carrinhas (sim, ainda se chamavam "carrinhas"), descapotáveis e num ou noutro caso uma "pick-up" destinada a fins profissionais.
Com esta nota introdutória — que se calhar deveria ter começado com um "no meu tempo..." —, quis explicar que o Fluence poderia ser muito simplesmente a versão "sedan" ou o "4 portas" da gama Mégane. Podia. Mas não é!


É ou não é?


Não é porque, segundo o construtor, embora partilhe mecânica e grande parte dos interiores, apresenta alguns aspectos exteriores que o distinguem além do nome; à frente e, claro está, atrás com o prolongamento da zona da mala. Tão só.
Mas vamos por partes. É um facto que a secção dianteira apresenta maior ligeireza das linhas. Mas isso tanto pode destinar-se a gerar maior fluidez aerodinâmica, relacionado com o facto do construtor vir em breve comercializar uma versão inteiramente eléctrica do modelo (Renault Fluence Z.E. - Zero Emissões), como dar-lhe uma silhueta mais clássica e mais sóbria, geralmente mais do agrado de alguns clientes de modelos da classe superior ao Fluence.
Não só isso resulta como explica uma nova designação. Afinal, "marketing obligé"!


Ideia luminosa


"Fluence", foi um "concept-car" que um dia deu lugar ao Renault Laguna Coupe. Agora é uma versão própria, com bom espaço interior e uma mala que supera os 500 litros de capacidade. Aqui alberga um pneu de emergência e lastima-se o uso de dobradiças em arco, capazes que porem em causa a integridade da carga quando a tampa da mala se fecha.
O habitáculo tem bons acessos. É suficientemente luminoso e só não proporciona melhor visibilidade porque a traseira é elevada e possui encostos de cabeça proeminentes.
As semelhanças com a restante gama Mégane são mais do que evidentes, com a ressalva dos mostradores serem clássicos de agulha e não digitais. Os revestimentos superiores são suaves e a aparência qualitativa é boa, embora algumas partes menos evidentes apresentem plásticos de qualidade mediana. Pequenos espaços em número suficiente e habitabilidade do banco traseiro algo condicionada em altura devido
à forma do tejadilho.


Caixa de seis


Falar sobre este motor e evitar ser repetitivo começa a ser difícil, tal é a diversidade de modelos que o utiliza. Este 1.5 dCi com caixa de seis velocidades cumpre os objectivos em estrada e em cidade; é económico o que lhe confere baixas emissões e, apesar de ruidoso, uma boa insonorização "abafa-lhe" o trabalhar. É ainda suficientemente despachado, mesmo com a lotação máxima, embora quando enfrenta lombas ou lhe é pedida maior capacidade de tracção, sobrevenha a limitação
própria de um motor que vive muito do desempenho do sistema de alimentação e do funcionamento do turbo.
Não me agradou a suspensão demasiado macia. Isso torna o Fluence mais sensível a qualquer variação do piso, sem grandes benefícios sobre o conforto dos ocupantes. A Renault quis construir um carro suave, que até se porta bem em estrada e é estável em velocidade, mas a afinação e pressão da suspensão obriga a abrir a trajectória em curva, enquanto que a traseira balança desnecessariamente em percursos mais
irregulares.


PREÇO, desde 26500 euros MOTOR, 1461 cc, 105 cv às 4000 r.p.m., 240 Nm às 2000 rpm, 8 válvulas, Injecção directa common rail com turbo de geometria variável CONSUMOS, 5,3/4,1/4,5 l (urbano/extra-urbano/misto)CO2, 119 (g/km)

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesquisar neste site

Pesquisar no Blog  

"Portal do Automóvel" é um meio de comunicação dirigido ao grande público, que tem como actividade principal a realização de ensaios a veículos de diferentes marcas e a divulgação de notícias sobre novos modelos ou versões. Continuamente actualizado e sem rigidez periódica, aborda temática relacionada com o automóvel ou com as novas tecnologias, numa linguagem simples, informativa e incutida de espírito de rigor e isenção.
"Portal do Automóvel" é fonte noticiosa para variadas publicações em papel ou em formato digital. Contudo, a utilização, total ou parcial, dos textos e das imagens que aqui se encontram está condicionada a autorização escrita e todos os direitos do seu uso estão reservados ao editor de "Cockpit Automóvel, conteúdos auto". A formalização do pedido de cedência de conteúdo deve ser efectuado através do email cockpit@cockpitautomovel.com ou através do formulário existente na página de contactos. Salvo casos devidamente autorizados, é sempre obrigatória a indicação da autoria e fonte das notícias com a assinatura "Rogério Lopes/cockpitautomovel.com". (VER +)