Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PORTAL DO AUTOMÓVEL




Terça-feira, 27.07.10

Mazda 6 MZR-CD 2.2

Quase... quase perfeito!



Para quê mudar quando já se têm um produto quase, quase perfeito? Se é verdade que “em equipa que ganha não se mexe” — e a marca japonesa ganhou muito em termos de imagem com o 6 —, também não é menos verdade de que há que dar novos e melhores motivos de escolha ao consumidor

Ao ritmo a que as novidades se sucedem, com novos carros e versões a surgirem a um ritmo alucinante, nenhum construtor arrisca manter determinado modelo sem alterações durante um longo período de tempo. Seja dotando-o com mais equipamento ou aperfeiçoando alguma característica sua, após retocar aqui ou ali uns pormenores na carroçaria, os senhores do marketing passam a ter argumentos para — “voilá” — anunciar um modelo “novo”.
Foi assim que nasceu o “novo” Mazda 6. Pronto para nova ronda, em rigor e em concreto, nem é muito diferente do anterior: é apenas melhor!



Eficácia acima de tudo

O que mudou então? Para começar, a silhueta ganhou maior fluidez aerodinâmica e surgiram pequenos detalhes cromados na carroçaria. Reforçado o ar terrivelmente sedutor que já tinha, grande parte dos melhoramentos introduzidos na carroçaria, visam permitir melhores consumos e menores emissões poluentes. De resto, aliás, muitas alterações de que os modelos beneficiam destinam-se a fazê-los cumprir as cada vez mais exigentes normas ambientais em vigor na Europa.
Por isso todas as mecânicas foram optimizadas reduzindo atritos; os sistemas de alimentação e combustão ficaram mais eficazes; e as motorizações diesel, que são aquelas que mais interessam para o mercado europeu (e português em particular), ganharam novos filtros de partículas, mais eficientes na retenção de poluentes no circuito de escape.


Qualidade real e não aparente

Como é habitual nestes casos, o construtor reivindica melhoria dos materiais e maior rigor na montagem. De facto, embora o Mazda 6 não pareça querer convencer com demasiados revestimentos suaves, a percepção que fica é de solidez e de resistência ao desgaste.
O que realmente é transmitido é um enorme prazer na condução deste carro. Prazer intrínseco às qualidades de eficácia mecânica — sobretudo porque assente sobre uma das plataformas mais deslizantes que conheço —, mas igualmente pela introdução de funcionalidades que facilitam a circulação em cidade, como é o caso do sistema de auxílio ao arranque em subida, evitando que o veículo descaia quando se solta o pedal do travão.

Mecânica

A presente geração do Mazda 6 tem a virtude de oferecer propostas mecânicas capazes de satisfazer diversos gostos: duas versões a gasolina com 1,8 e 2,0 litros que, devido às características do mercado português, despertam menos interesse; e a partir de um mesmo bloco a gasóleo (2,2 l), três níveis de potências: 129, 163 ou 180 cv.
Tive nas mãos a variante carrinha mais potente (a partir de 41 mil euros) e o “5 portas” de 129 cv (a partir de 32 mil euros). Se no primeiro caso era perceptível uma maior facilidade de recuperação e um comportamento mais aguerrido quando o conjunto era provocado, não é menos verdade que o motor se mostrou muito suave e surpreendentemente económico, quando o propósito era um andamento mais familiar. Apenas o conforto se ressente em piso mais irregular, naturalmente por causa da afinação da suspensão e dos pneus, orientados para um comportamento dinâmico mais exigente.
No entanto, sem nunca mostrar qualquer constrangimento, os 129 cv foram suficientes para permitir médias elevadas à berlina, com espantosa capacidade de recuperação devido a dois factores: uma excelente e bem escalonada caixa de seis velocidades e um binário que se mostra muito capaz logo a partir das 1500 r.p.m. Graças a estes dois factores e a uma propensão (esteticamente pouco assumida) familiar, a média de consumo ficou pouco acima dos seis litros. Na carrinha, com mais peso e mais 50 cv, esse valor quedou-se abaixo dos 7,5 litros.

PREÇO, desde 32500 euros MOTOR, 2184 cc, 129, 163 e 180 cv 16V, common rail, turbo geometria variável, intercooler e filtro de partículas CONSUMOS, 6,6 a 6,9/4,4 a 4,5/5,2 a 5,4 l (cidade/estrada/misto) EMISSÕES CO2, 138 a 143 g/km



Algumas versões possuem ainda indicadores da aproximação de veículos, pelas laterais, no chamado “ângulo morto” dos retrovisores e ligação automática dos “piscas” alertando quem vem atrás para uma travagem de emergência.
Há ainda possibilidade de abertura das portas sem chave, sistema de navegação, sistemas de som mais evoluídos, enfim, uma panóplia de itens que o segmento do Mazda 6 já não dispensa oferecer, como opcional ou equipamento de série do modelo, consoante a versão.


Sem ser das propostas exteriormente mais espaçosas, a disponibilidade interior é francamente boa. Tanto na versão de 5 portas como na carrinha, malas amplas e com bom acesso justificam o que acabei de afirmar: 510 l no primeiro caso, 519 na station wagon. Este valor sobe aos 1751 l com o rebatimento dos bancos traseiros.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar neste site

Pesquisar no Blog  

Procura carro novo, usado ou acessórios?



"Portal do Automóvel" é um meio de comunicação dirigido ao grande público, que tem como actividade principal a realização de ensaios a veículos de diferentes marcas e a divulgação de notícias sobre novos modelos ou versões. Continuamente actualizado e sem rigidez periódica, aborda temática relacionada com o automóvel ou com as novas tecnologias, numa linguagem simples, informativa e incutida de espírito de rigor e isenção.
"Portal do Automóvel" é fonte noticiosa para variadas publicações em papel ou em formato digital. Contudo, a utilização, total ou parcial, dos textos e das imagens que aqui se encontram está condicionada a autorização escrita e todos os direitos do seu uso estão reservados ao editor de "Cockpit Automóvel, conteúdos auto". A formalização do pedido de cedência de conteúdo deve ser efectuado através do email cockpit@cockpitautomovel.com ou através do formulário existente na página de contactos. Salvo casos devidamente autorizados, é sempre obrigatória a indicação da autoria e fonte das notícias com a assinatura "Rogério Lopes/cockpitautomovel.com". (VER +)