Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PORTAL DO AUTOMÓVEL




Quarta-feira, 02.05.12

ANÁLISE: Automóvel a gasolina ou a diesel?

Perante a aproximação de preço entre os dois combustíveis, a questão coloca-se cada vez mais na altura de adquirir um carro novo ou usado: a gasolina ou a diesel? Para baralhar, surgem novos modelos com motor a gasolina mais pequenos, contudo mais potentes, e também mais económicos. Enquanto isso, aumenta o rigor das entidades comunitárias para um maior controlo das emissões de substâncias perigosas libertadas pelos propulsores a gasóleo. E aquilo que, à partida, poder-se-á economizar no abastecimento, rapidamente deixa de fazer sentido quando chega à altura de ir à oficina; é que a manutenção periódica de um motor a gasóleo é, em média, 25 por cento mais cara do que uma versão equivalente a gasolina.
Houve um tempo em que compensava grandemente possuir um carro a gasóleo. Uma diferença de preço entre os dois combustíveis da ordem dos 30 cêntimos por litro e um Imposto Anual de Circulação menos elevado justificavam-no.
Os fabricantes contribuíram para a procura concebendo motores cada vez mais pequenos e potentes, fruto do desenvolvimento da gestão electrónica da injecção de combustível, feita a temperaturas e pressões cada vez mais elevadas e do uso de pequenas turbinas, capazes de incrementarem significativamente a potência.
Os motores a gasóleo tornaram-se mais silenciosos, mais equilibrados e cada vez mais económicos. Contudo, um motor a gasóleo é mais poluente do que o seu congénere a gasolina. Apesar do melhor rendimento deste combustível (comparativamente, um motor a gasolina “desperdiça” mais carburante no momento da explosão), a libertação de substâncias altamente tóxicas é superior num motor a gasóleo. Filtros de partículas cada vez mais elaborados (e caros, uma vez que utilizam, no seu interior, metais de elevado custo) são acrescentados, encarecendo cada vez mais o produto.

Evolução dos motores a gasolina

Na sua essência, um motor a gasolina conserva os princípios básicos desde que foi inventado há mais de 100 anos. Contudo, a electrónica veio permitir uma melhor gestão no momento da injecção do combustível (eliminando os vetustos carburadores), enquanto novas ligas metálicas tornaram mais leves e resistentes os blocos de motor. Isso permite aumentar o poder de detonação da gasolina e, por consequência, também a força gerada por via de uma explosão mais potente do combustível (uma explicação mais pormenorizada está  no texto do ensaio ao Nissan Micra 1.2/98 cv).
Isto resulta na rentabilidade acrescida dos motores a gasolina, capazes de transmitirem mais força com menores consumos. Por outro lado, tratando-se de um motor mais resistente e sendo uma tecnologia menos dependente de filtros e catalisadores, por exemplo, a sua manutenção torna-se mais económica.
Apesar de muitos dos modelos a gasóleo apresentarem intervalos de manutenção mais alargados.

Rentabilidade de um "diesel"

Embora o valor possa variar consoante os casos, a manutenção de um veículo diesel é, em média, 25 por cento mais cara que a de um veículo a gasolina. Por outro lado, o custo de aquisição de um carro a diesel é, regra geral, superior à versão idêntica a gasolina.
Dever-se-ão também ter cuidados suplementares durante a condução de um carro a gasóleo, de modo a garantir a sua longevidade: não acelerar a frio, não “esticar” as mudanças, não conduzir apenas em cidade e não desligar imediatamente um carro a gasóleo depois de muitos quilómetros, para deixar o turbo arrefecer progressivamente. A verdade é que poucos proprietários seguem à risca estes princípios e a maioria desconhece-os por completo.
Apesar disso, para quem faz muitos quilómetros anualmente a opção do veículo diesel continua a ser mais económica. O número de quilómetros exacto depende do modelo e do tipo de utilização. Mas para um consumidor que efectue deslocações maioritariamente em cidade, a opção do gasóleo é fortemente desaconselhada. A seu tempo os motores a gasóleo virão a sofrer penalizações devido à libertação de mais partículas contaminantes, apesar dos baixos índices de CO2 que geralmente apresentam.
Por outro lado, os filtros de partículas que dispõem requerem elevadas temperaturas para se tornarem eficazes na função, geralmente só atingidas após vários quilómetros em estrada. Os manuais de instrução dos carros recomendam-no e não são raros os casos em que consumidores reclamam falhas de funcionamento dos motores dos seus veículos, somente devido a este facto.
Face a tudo isto é possível que o tempo venha a esbater outra das vantagens das versões a gasóleo: o seu valor de retoma por causa da maior procura no mercado.

Procura automóvel novo, usado ou acessórios? Quer saber mais sobre este ou sobre outro veículo?

Autoria e outros dados (tags, etc)



Pesquisar neste site

Pesquisar no Blog  

Procura carro novo, usado ou acessórios?



"Portal do Automóvel" é um meio de comunicação dirigido ao grande público, que tem como actividade principal a realização de ensaios a veículos de diferentes marcas e a divulgação de notícias sobre novos modelos ou versões. Continuamente actualizado e sem rigidez periódica, aborda temática relacionada com o automóvel ou com as novas tecnologias, numa linguagem simples, informativa e incutida de espírito de rigor e isenção.
"Portal do Automóvel" é fonte noticiosa para variadas publicações em papel ou em formato digital. Contudo, a utilização, total ou parcial, dos textos e das imagens que aqui se encontram está condicionada a autorização escrita e todos os direitos do seu uso estão reservados ao editor de "Cockpit Automóvel, conteúdos auto". A formalização do pedido de cedência de conteúdo deve ser efectuado através do email cockpit@cockpitautomovel.com ou através do formulário existente na página de contactos. Salvo casos devidamente autorizados, é sempre obrigatória a indicação da autoria e fonte das notícias com a assinatura "Rogério Lopes/cockpitautomovel.com". (VER +)